18/12/17

Plantio piloto de café agroflorestal na Fazenda São Nicolau testa diferentes técnicas para avaliar a mais sustentável

Colaboradores da Fazenda São Nicolau se mobilizam para preparo das áreas de cultivo (Foto: Saulo Thomas/ PETRA)

Colaboradores da Fazenda São Nicolau se mobilizam para preparo das áreas de cultivo (Foto: Saulo Thomas/ PETRA)

 

A atividade integra a proposta de formação de um cluster de café na região Noroeste de Mato Grosso, incentivado pelo projeto PETRA. O plantio dos primeiros pilotos de café pelo Sistema Agroflorestal (SAF) está previsto para 18 a 21 de dezembro na Fazenda São Nicolau. Ao total, 1,44 hectares já foram preparados para o cultivo. Cada área vai receber um tratamento diferente com o objetivo de testar os níveis de sombreamento e as técnicas de implementação mais adequadas para o SAF. O composto orgânico, a ser utilizado na experiência, é produzido pela Fazenda e começou a ser preparado ainda em setembro.

A adubação orgânica dos plantios pilotos será feita com a aplicação de um biofertilizante quatro vezes ao ano, técnica compartilhada pela equipe do Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam) a partir da experiência de plantio de café agroflorestal em Apuí (AM). Para controlar a regeneração natural, serão plantadas leguminosas para adubação verde associada a roçadas periódicas.

A experiência deve oferecer material para a análise das práticas que melhor se adaptam às condições da Amazônia: o nível de sombreamento mais adequado, as variedades mais produtivas para a região e a técnica mais eficiente para o controle de regeneração natural. Os testes permitem uma avaliação lucrativa, uma vez que será possível calcular também a quantidade de insumo e mão-de-obra necessários para a obtenção da maior produtividade. Algumas das técnicas a serem implementadas, como o biofertilizante, já estão em uso pelos produtores do Projeto de Assentamento (PA) Juruena. Os pequenos agricultores participaram das oficinas de formação e demonstraram interesse na formação do cluster agroflorestal de café.

Partindo de uma prática agrícola já consolidada na região, o PETRA (Plataforma Experimental para gestão dos Territórios Rurais da Amazônia Legal) contribui para o projeto de revitalização da cafeicultura no estado de Mato Grosso, usando sistemas de produção sustentável. Ao integrar a recuperação florestal à agricultura, é possível promover um maior equilíbrio ecológico na região do estado e fortalecer a cadeia produtiva dos moradores do PA Juruena. A experiência apoia também a Estratégia Produzir, Conservar e Incluir (PCI), criada pelo governo do Estado para promover a economia de carbono e conter o desmatamento. O modelo produtivo aperfeiçoado nos pilotos poderá ser replicado em outras regiões, contribuindo ainda mais para a sustentabilidade em Mato Grosso.

 

Veja mais fotos da limpeza das áreas para o plantio:

2017-12-06 14.18.23-4

2017-12-07 09.33.16

Recomendados

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Financiadores:
Gestão Administrativa e Financeira:
Implementação: