24/04/17

Evento discute plataforma de monitoramento territorial para a identificação de áreas de desmatamento e indicadores de sustentabilidade em Mato Grosso

As perguntas norteadoras para o estabelecimento de indicadores são apresentadas durante o segundo workshop (Foto: PETRA)

As perguntas norteadoras para o estabelecimento de indicadores são apresentadas durante o segundo workshop (Foto: PETRA)

 

O segundo workshop do projeto PETRA, realizado nesta quarta-feira (19/04), contou com uma dezena de participantes no Hotel Deville (Cuiabá, MT). O objetivo do encontro foi avançar no desenho de um sistema de gestão da informação e de monitoramento territorial sustentável. Os parceiros do projeto PETRA debateram indicadores pré-selecionados que poderão ser considerados para o desenvolvimento da ferramenta.

Um observatório territorial precisa produzir informações úteis para a tomada de decisão por parte dos atores locais e gestores públicos. Para isso, a iniciativa necessita utilizar, atualizar e cruzar diferentes tipos de dados. No primeiro workshop, realizado no dia 6 de dezembro 2016, algumas organizações parceiras apresentaram plataformas desenvolvidas para as suas necessidades.

O Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) exibiu o INDICAR, que confere transparência e permite acompanhar as políticas públicas de combate ao desmatamento.  O Earth Innovation Institute explicou o funcionamento do TPS (Territorial Performance System), usado para mensurar a performance do setor florestal. Por fim, a The Nature Conservancy (TNC) demonstrou as características do Portal Ambiental Municipal, plataforma do governo para o monitoramento rural e que recebe o apoio da referida organização.

Essas experiências, apresentadas em dezembro contribuem para o planejamento do observatório territorial do PETRA. Contudo, estes sistemas possuem objetivos distintos, recebendo e analisando de maneiras diferentes os dados. Ou seja, as plataformas atuais dificilmente fornecem uma solução integrada e, então, justificam a elaboração de um observatório territorial sustentável específico para o Mato Grosso.

O primeiro workshop indicou também a necessidade de envolver as equipes técnicas da Secretaria de Estado do Meio Ambiente nas discussões sobre geoprocessamento e sobre a fiscalização a partir do monitoramento. Outro ponto levantado durante o evento foi a sugestão de incluir, na plataforma, um dispositivo de alerta para o desmatamento – com o fornecimento de imagens Sentinel, de alta resolução e frequência. A questão que permaneceu para ser respondida no segundo encontro se relaciona ao estabelecimento de indicadores que poderiam auxiliar os atores locais e os gestores públicos na promoção de práticas sustentáveis. Entre os fatores a serem considerados, estão as informações que colaborem no processo de licenciamento ambiental.

Portanto, durante o segundo workshop do PETRA, foram discutidos os indicadores ambientais para o observatório territorial, além das características e dos critérios para a coleta destes dados. Esses indicadores ainda serão debatidos com os parceiros antes de integrarem a ferramenta em construção. A proposta é cobrir tanto os aspectos ambientais, como econômicos e sociais, para permitir uma análise das dinâmicas existentes na região onde o projeto PETRA concentra suas atividades.

Recomendados

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Financiadores:
Gestão Administrativa e Financeira:
Implementação: